Google+

14 de mar de 2008

Karmann-Ghia Conversível

1969

O modelo ano 1969 pertence ao colecionador Kaiko Botelho e, segundo eu mesmo pude constatar, é um dos exemplares mais bem conservados do país. Quem gosta de cabelos esvoaçantes tem que ler os próximos parágrafos.



Karmann-Ghia

Detalhe

Clássico

Estúdio

Race


VÍDEO



O carro chegou às suas mãos há seis anos. Inicialmente era branco. A restauração deixou-o tinindo novamente, com aumento da cilindrada e também a adoção de freios a disco. O charmoso volante de três raios foi feito no Rio de Janeiro e o painel se completa com o rádio original de época.

O clássico tem fôlego de sobra. O motor, de 1.800 cm³ de cilindrada, recebeu um kit e ficou mais “nervoso”. Os carburadores duplos Weber 40 pedem que o motorista afunde o pé no acelerador. Só um pouquinho, de modo que ele possa respirar aliviado. Aliás, esse tipo de coisa faz bem à saúde do propulsor – e à nossa também.

O Karmann-Ghia tem estilo. Ele é um daqueles carros com classe. No caso deste baunilha, número 62 dentre os 177 produzidos, o prazer se completa com um pouco mais de potência disponível. Agora é só ligar uma velha canção da Bossa Nova no rádio e pegar uma estrada ensolarada. E como diziam os bucólicos poetas arcadistas: carpe diem.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails