Google+

6 de dez de 2008

Gol GTS

Gol

O futuro clássico das fotos já foi destaque aqui no site, juntamente com o GTI 1990. Agora é a vez desse segundo ensaio individual. Logo abaixo o proprietário Daniel Nápoles conta com suas palavras a história de paixão entre eles:



GTS

BBS

AP

Esportividade

Painel

Coração


VÍDEO



"O motivo da compra do meu carro foi parecido com a da maioria dos apaixonados por veículos antigos. No meu caso meu irmão ganhou, em 1993, um exemplar vermelho zero km. Eu tinha 11 anos e fiquei fascinado com os detalhes do carro e o ronco do motor. No colégio tinha um amigo que também era apaixonado por carro e no intervalo sempre ficávamos conversando sobre ele e principalmente sobre GTS do meu irmão e o GTS da tia dele.

O tempo passou e minha vontade de ter um deles não tinha passado. Em 2003 surgiu a oportunidade de comprar um GTI, mas meu sonho era um GTS vermelho 93, exatamente igual ao do meu irmão. Desisti da compra do GTI e comecei a procura do Gol vermelho. Fiquei 6 meses procurando e não encontrei nada. Então apareceu um GTS 93 cinza spectrus. A essa altura não tinha mais esperança de encontrar um vermelho e como já tinha perdido outras oportunidades resolvi fechar o negócio.

O Shiba (aquele meu amigo do colégio) que me ajudou na procura, foi contaminado pelo bichinho da ferrugem e resolveu comprar um também, de outro amigo de infância. E foi aí que surgiu o GT's CLUB. Mas meu sonho ainda era o GTS vermelho. Olhava todo dia todos os sites de venda de carros e já conhecia uma boa parte dos modelos anunciados.

Em 2005, não me recordo do mês, o Maurício mandou o link de um GOL GTS 93 VERMELHO no site do GOL CLUB. O carro não estava à venda, era de um sócio. No mesmo momento mandei um e-mail perguntando se o tinha interesse em vender. Adivinha a resposta? NÃO. Mas não perdi as esperança, sabia que o carro existia e com o tempo eu ia conseguir. Fiz amizade com o proprietário e depois de quase 2 anos ele resolveu vender o carro, mas com uma condição: eu teria que encontrar um GTI no mesmo estado que o GTS vermelho dele. Então encontrei um exemplar 1989, depois de alguns meses coloquei à venda meu carro e, na mesma semana (agosto de 2007), fui a Botucatu buscar meu tão sonhado GTS vermelho.

Fiquei muito feliz em realizar esse sonho de infância. Não foi fácil, meus amigos que acompanharam essa minha batalha também ficaram contentes. Hoje o carro só fica debaixo de uma capa e só saio para ir aos encontros do GT's CLUB. Foi através do clube que formei amizades que vou levar para o resto da vida.

Tem uma frase que eu gosto muito: Não há nada como um automóvel que faça alguém sorrir".
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails