Google+

7 de fev de 2009

MG TD

MG TD

Os clássicos esportivos britânicos têm algo em comum: a elegância. Basta olhar para este MG das fotos, por exemplo, para comprovar essa máxima. E as linhas sedutoras da carroceria conquistaram não só os exigentes consumidores ingleses, mas também uma legião de fãs no mundo todo.



1952

Cockpit

Coração

Detalhe

Cronômetro

Clássico britânico


VÍDEO




Este exemplar é um dos 143 que foram exportados para o Brasil em 1952, como me contou o dono. Rodas raiadas (15 polegadas) de cubo rápido, rack traseiro e o badge bar – com os indispensáveis faróis auxiliares Lucas – chamam atenção à primeira vista. Mas tem muito mais. Reparem só no painel em rádica, volante Moto-Lita, pisca-pisca a vácuo e o cronômetro Hanhart, muito útil em ralis de regularidade. Outro item interessantíssimo é o pára-brisas adicional Brooklands, que cumpre bem a função quando o principal está abaixado, além do toque de estilo todo especial.

Mas o melhor daquele sábado ensolarado foi dar uma volta em São Paulo com a capota abaixada (o leitor confere no segundo vídeo). A charmosa cor Two-Tone Clipper Blue abriu passagem entre os carros. O motor de quatro cilindros, com 1.250 cm³ de cilindrada e 54,4 cv mostrou bastante vitalidade e tem um ronco sensacional. Vale salientar também o câmbio de quatro marchas e os dois carburadores SU.

O veterano está em plena forma. Na Marginal Pinheiros, por exemplo, ele rodou a 90 km/h sem dificuldade. Algo comum para este carro, que está com o zeloso proprietário há cinco anos e não tem medo de estrada. Ah, e não faltaram olhares de admiração pelo caminho.

Para fechar o texto, deixo o slogan de época da marca: “para dirigir com prazer não há nada como um MG”. Posso garantir que, após 57 anos, a frase continua mais atual do que nunca. Nos vemos por aí!

Obs: Esse é o segundo MG que fotografei. O primeiro, TC 1946, o leitor relembra clicando aqui.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails