Google+

27 de fev de 2010

Porsche 993 GT2 (660 cv)

Porsche 993

Olhe bem para esse Porsche cheio de veneno. Aproveite o fato da máquina ter posado para as fotos e admire suas linhas esportivas, além da combinação perfeita da carroceria prateada com as rodas BBS. O estilo agressivo não esconde suas “más” intenções. Se estivesse rodando, a única coisa visível seria a asa traseira e o ronco da usina de força em alta rotação.



GT 2

Cockpit

BBS



Biturbo

660 cv


VÍDEO




Teste no dinamômetro



A história desse verdadeiro bólido começou em terras norte-americanas. O carro recebeu preparação pesada e kit de carroceria da Protomotive, uma das oficinas mais conhecidas do planeta quando o assunto é Porsche. Uma visita ao site oficial dá idéia do que estou falando.

“Há alguns anos o carro foi completamente remontado com motor e embreagem original da Porsche Motorsport, além de outros componentes de primeira qualidade, como suspensão e freios”, conta o dono. “Foi feita também a conversão para 993 GT2 de competição, tanto que atualmente ele pesa aproximadamente 1.200 kg”, revela. Debaixo do aerofólio está o motor biturbo, de 3,8 litros e 660 cv brutos.

Vale salientar também que o bólido passou pelas mãos do experiente preparador Ricardo Malanga, da Brabo Motorsport. "Fizemos o acerto total da injeção eletrônica, extraindo 250 cv extras do motor", diz. O segundo vídeo - no dinamômetro - mostra a potência sendo devidamente medida.

Baixo peso, freios excepcionais, estilo de pista e cavalaria de sobra. Eu tinha que dar uma volta...O cockpit – agora sim, o termo ideal – é rústico e traz somente o necessário. Bancos-concha, cinto de quatro pontos e estrutura tubular sobre a cabeça de piloto e co-piloto, digo, motorista e passageiro. O painel, por sua vez, é completo e dois manômetros se destacam no console central.

Saímos debaixo do sol de 40º C e era hora de ligar o ar-condicionado...Opa, como assim? Não havia mais espaço para esse item no compartimento e ele foi retirado. Esse é um bólido feito para acelerar, sentir o coração pular no peito e ouvir os caracóis das turbinas fazendo seu trabalho. Quem se importa com o calor?

Logicamente não foi possível sentir toda a força do propulsor. Mas posso garantir que as duas coisas principais quando falamos em um esportivo desse nível estão presentes. O 911 acelera e freia como um carro de corrida. A primeira marcha é curta e, logo em seguida, sente-se o corpo pressionado contra o banco e é possível observar o ponteiro do conta-giros pular para o limite. Incrível!

Antes de voltar ao local das fotos, o proprietário ainda me contou outra curiosidade. “Depois da montagem ele usava 50% de combustível de helicóptero. Agora só gasolina Podium”. Não sei não, mas pelo que vi e senti a bordo do Porsche, acho que a outra metade do tanque é abastecida com propelente de foguete...
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails